Bruno Torres

É ator, diretor e produtor de cinema. Atuou em mais de vinte produções entre curtas, longas, novelas e séries, dentre eles destacam-se “Somos Tão Jovens”, “Entrando Numa Roubada” e “O Homem Mau Dorme Bem”. Conquistou por suas atuações prêmios importantes em festivais nacionais de cinema, como por exemplo o de melhor ator coadjuvante pelo longa metragem “O Homem Mau Dorme Bem” no 42o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e no XIV CINE-PE. Foi indicado ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro na categoria de melhor ator coadjuvante no ano de 2014, por seu trabalho no longa metragem “Somos Tão Jovens”, de Antônio Carlos da Fontoura. Dirige cinema desde o ano de 2004, tendo recebido por seus curtas metragens mais de sessenta prêmios em festivais nacionais e internacionais, como por exemplo o notório prêmio SIGNS OCIC e o prêmio de melhor filme eleito pelo júri popular na Mostra de Cinema de Tiradentes e no Festival de Cinema de Valência – Espanha. Produziu o curta metragem “Meu Amigo Nietzsche”, que conquistou o Audience Award e o prêmio especial Fernand Raynoud no Festival Internacional de Curtas Metragens de Clermont-Ferrand, o mais conceituado festival de curtas metragens do mundo. Em 2015 escreveu, protagonizou e dirigiu seu primeiro longa metragem “A Espera de Liz”, ainda inédito.

Amanda Mansur

É professora do Centro Acadêmico do Agreste da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE. Possui Doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco e Pós-doutorado pela mesma Instituição. Cursou o Taller de Roteiro Cinematográfico na Escuela Internacional de Cine y TV de San Antonio de Los Baños – EICTV, em Cuba. Ministra disciplinas, oficinas e minicursos sobre teoria e prática do audiovisual, além de atuar na área como produtora, diretora, e continuísta. É autora dos livros, O Novo Ciclo de Cinema em Pernambuco: a questão do estilo, lançado pela Editora Universitária da UFPE (2010) e A Aventura do Baile Perfumado: 20 Anos Depois (2016), lançado pela Editora CEPE.

Matheus Andrade

É professor do curso de Cinema e Audiovisual da UFPB, área de Fotografia Cinematográfica. Atua como realizador audiovisual, documentarista e fotógrafo. Participou do juri de festivais como: Fest Aruanda-PB e Curta Taquari-PE. É autor dos livros O sertão é coisa de cinema (2008) e REC: uma iniciação à filmagem (2013)

Patrocinador Master

Patrocinador

Apoio Institucional

Apoio Cultural

Promoção

Realização